Monday, June 24, 2013

Raízes, "astroturf" e o novo ambiente político do ativismo no Brasil



Um novo termo lexical precisa ser traduzido para português: "astroturf movement".

"Astroturf" é o gramado artificial que tem nos estádios de futebol nos EUA. Quando os americanos falam em "movimentos de raiz", falam em "grassroots movements". Ou seja: "Movimentos [que crescem] dos raízes do gramado." Portanto, um "movimento astroturf" é um movimento de raiz falso, artificialmente criado e mantido.

Obama e seus oponentes foram acusados de utilizarem tais movimentos em ambas as eleições de 2008 e 2012. E, em 2010, foi revelado que o National Security Agency , a CIA e o FBI estavam mantendo seus próprios grupos "astrotruf" na internet.

Em 2008, quase nenhum brasileiro sabia quem era Anônimo. Lembro tentando explicar o fenômeno para meus colegas na ABA e na BRASA daquele ano e todo mundo me olhando como se eu fosse maluco. O Brasil, a meu ver, está uns 2-4 anos atrás da crista da onda nesses desenvolvimentos. Nossos primeiros grupos astroturf só sugiram na última eleição presidencial e, mesmo assim, não impactaram na consciência pública de maneira decisiva.

O que estamos vendo agora, nas teorias conspiratórias que cercam o atual crise, é a percepção, em massa, que a internet de fato abriga todos os tipos e todos os movimentos. É bastante difícil para alguns de meus colegas - particularmente aqueles que tem orientação nacionalista e/ou socialista - entender como essa nova meio ambiente política funciona. Encarando o que lhes parecem como caos, eles recuam em favor dos antigas teorias políticas e sociais de sua criação.

O fato, porém, é que quase todo mundo está fazendo isto no Brasil hoje: direita, esquerda e os apolíticos. É, enfim, uma espécie de reação fundamentalista intelectual: em momentos de crise, agarra-se mais ainda nas dogmas de sempre. Portanto, tem gente achando que tudo isto é complô da CIA... Que é orquestrada pelos bancos multinacionais... Que é tudo complô da aula reacionária das forças de segurança e as milícias... que é, de fato, uma conspiração bem pensada do Comando Vermelho.

Enfim, conhecendo-se a posição política "tradicional" (quero dizer, na tradição da política dos últimos 40 anos) de um brasileiro hoje, você conhece qual vai ser a sua teoria conspiratorial sobre as manifestções.

O que ninguém quer falar é que tudo isto pode ser uma simples efeito colateral da democratização dos meios de comunicação em momento de crise política. Estamos a frente de um novo ambiente político, proporcionado pela internet e pela irrelevância crescente da mídia tradicional. Não temos mais nenhuma "narrativa nacional" coesa sobre os acontecimentos políticos do dia-a-dia e, nesta situação, conflitos localizados e/ou setoriais podem explodir repentinamente em movimentos populares de massa, dado certas precondições.

A Revolta dos 0.20 Centavos, como a Revolta da Vacina no século passado, prefigura de forma inepta e imperfeita as formas políticas urbanas que se instalariam durante o novo século . As formas antigas de fazer a política perderão, cada vez mais, sua utilidade.

Os grupos que aprendem mais rapidamente a se adaptar a esse novo meio ambiente político terão uma vantagem fulminante nos próximos vinte anos.

Me preocupo que o time com qual estou associado - a de direitos humanos, tolerância, e de uma democracia que pensa em termos sociais - está mais preocupado com 1964 do que com 2014. Em vez de aprender como podemos operar nesse novo ambiente, estão ocupados em lamentar a eliminação do velho.

1 comment: